Refletindo sobre sonhos com a Dona Tromba

00Eu não sou uma super fã da Hora da Aventura, mas adoro olhar uns episódios volta e meia e, lógico, tenho a minha personagem favorita, a Marceline <3. Tem como não amar uma vampira que se alimenta da cor vermelha? Difícil, né!? Mas hoje não vamos falar sobre ela.

Dia desses eu assisti o episódio da Dona Tromba, uma personagem fofa e o seu grande trunfo é justamente a fofura. Esse episódio fala da jornada da elefanta em busca de seu sonho, a Maçã da Gema de Cristal. Eu vou deixar o link do episódio aqui pra quem quiser assistir. A minha narrativa da história está toda em itálico, quem viu o episódio e quiser pular essa parte fica a vontade.

A história começa… Finn e Jake, os personagens principais da Hora da Aventura, estão brincando com suas espadas perto das macieiras da Dona Tromba. Ela os convida pra comer uma torta de maçã e enquanto eles se deliciavam e elogiavam a torta, a elefanta faz a grande pergunta:

O que você faria se pudesse fazer qualquer coisa?

Os meninos responderam entusiasmados e devolveram a pergunta a Dona Tromba. Mas quando ela diz que pegaria uma bela maçã Finn desmerece seu sonho e é repreendido por Jake. Então ela explica o que há de especial e único em pegar uma maçã, ela queria a “maçã das maçãs”, a Maçã da Gema de Cristal.

Empolgados, afirmam que a Dona Tromba precisa apanhar aquela maçã especial. Ela comenta displicente: “Quem, eu? Não, sou só uma pequena elefoa…” Então eles insistem que esse é o seu sonho e enfatizam como ela se sentiria alegre e o prazer que teria ao se deliciar com a Maçã da Gema de Cristal. A elefanta, se enchendo aos poucos de coragem, os questiona se realmente acreditam  que ela seria capaz de tal proeza. Eles não só afirmam que sim como também se comprometem em ajudá-la. Cheia de segurança, ela se intitula “Dona Tromba, Aventureira!”

Eu acho essa parte muito bacana [pulinhos!!], porque a gente pode acompanhar a jornada antes da própria jornada, o processo interno que ocorre quando um desejo se transforma em um sonho que se torna possível.

Encontramos dentro e fora de nós o Finn que desfaz dos nossos sonhos, os minimiza e acha pouco relevantes. Aquelas vozes internas que questionam se nossos desejos valem a pena são até mais poderosas que os amigos, parentes ou conhecidos que desencorajam nossa busca pelo que é importante pra nós. Mas repara o quanto é fundamental saber o que é a nossa “maçã das maçãs” e o tamanho que ela ocupa na nossa vontade de alcançá-la Sabe aquilo que dizem que quem não ouve a melodia acha maluco quem dança? Pois é disso que estou falando aqui.

Por sorte também encontramos dentro e fora de nós o mesmo Finn que super se empolga com o sonho da gente. Aquele que oferece ajuda e ainda nos transporta pra dentro do nosso sonho, onde podemos nos imaginar conquistando nossos objetivos cheios de alegria e satisfeitos com nós mesmos. Quando cultivamos essa coragem dentro da gente  é impossível não sentir o coração acelerado da nossa versão aventureira.

dona-tromba-2Então começam a aventura em busca da Maçã da Gema de Cristal que, segundo a lenda, fica no fim da Terrível Floresta Negra. Dona Tromba, criatura fofa, bondosa e otimista encara os monstros do caminho com adesivos perfumados, chás e sanduíches, enfim, amor. Enquanto isso Finn e Jake discutem entre si se a busca da elefanta é realmente uma boa ideia, afinal protegê-la não está sendo uma tarefa fácil.

Dona Tromba decide ajudar tentando seduzir um monstro que aparece no caminho, a Fera Cerebral de Rubi com Braços de Cobra. No entanto, foram os meninos os responsáveis por acabar com a fera e não a iniciativa sensual da elefanta, mesmo assim ela comemora e acredita ser “a aventureira mais sexy do mundo”.

dona-tromba-5Todo estropiado, o menino perde a linha depois da imprudência da elefanta, xingando-a e desmerecendo-a enquanto aventureira. Magoada, ela segue seu caminho de volta pra casa entre choramingos, até que, por acaso, encontra a maçã de sua busca e grita surpresa. Ao ouvi-la os meninos correm em sua direção, Finn reconhece que errou e pede desculpas. Dona Tromba o perdoa e age afetuosamente.

A todo tempo estamos travando uma luta entre nossa versão que consegue lidar com os desafios com amorosidade e uma bela xícara de chá e aquela outra versão não tão fofinha que duvida se somos capazes, se merecemos, se somos suficientes pro tamanho dos nossos sonhos. Aquela lista gigante de “e se…” que guardamos na gaveta ao lado da nossa pilha de coragem e determinação.

Há também de se dar lugar para ser surpreendido, lugar para o acaso nas nossas vidas. Tem um espaço de confiança e controle, que é aquilo que podemos fazer a respeito de quem somos e do que queremos. Mas também tem um outro espaço que conversa com a nossa fé, é um espaço do universo que dá aquilo que precisamos no momento em que estamos prontos pra receber. Nos movimentamos em busca dos nossos sonhos e eles se movimentam em busca de nós. Fé.dona-tromba-7De repente percebem surgir o Guardião de Cristal, um monstro responsável por proteger a maçã e que copia tudo o que eles fazem. Então, a cada ataque eles sofrem um contra-ataque exatamente igual, o que anula as forças de ambos os lados. Ao perceber que o monstro também imitava os movimentos da Dona Tromba, que dançava tranquilamente para não atrapalhar o combate, eles entenderam que poderia ser uma boa estratégia lutar dessa vez do jeito da elefanta amável e carinhosa.

Então, Finn e Jake são cordiais e amistosos com o Guardião que reage de igual modo, permitindo que Dona Tromba morda a sua maçã especial. Objetivo alcançado, a Maçã da Gema de Cristal conquistada e Dona Tromba some acompanhada de um grande ruído.

Nossa mente tem a cura e a loucura. Para cada sonho que temos, também temos os recursos internos necessários para alcançá-lo. O caminho, na maioria das vezes, não exige só o nosso recurso emocional mais abundante, seja ele amor, raiva, compassividade, enfim, mas também recursos que precisamos descobrir e desenvolver. No entanto, tudo já está dentro nós, nesse baú desorganizado e cheio de tralhas que é a nossa mente.

Eu já tenho tudo de que preciso aqui dentro.

Esse é um nos meus mantras que não posso esquecer, embora frequentemente aconteça.

dona-tromba-6Mas… alguém mais ficou curioso sobre o que acontece depois que um sonho é conquistado? Será que a gente explode e some? Será que a gente cria um novo sonho pra continuar correndo atrás? Será que a gente vive feliz pra sempre? Será que isso realmente importa? Ou será que é na aventura da busca que mora a felicidade e o friozinho na barriga?
Vou tentar descobrir e depois te conto, pois afinal hoje sou eu a “aventureira mais sexy do mundo”!

2 comentários sobre “Refletindo sobre sonhos com a Dona Tromba

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s