Bestiário Afetivo

Antes de te convidar pra conhecer as fadas que habitam esse espaço encantado de conexão eu quero te contar um pouco sobre como são construídas essas meninas aladas. De que matéria mágica são feitas, onde vivem e do que se alimentam.

Todas as criaturas desse Bestiário Afetivo são feitas de energia, cada uma criada a imagem e semelhança da vibração das emoções, pensamentos e sentimentos que reverberamos. Embora eu crie a partir da curadoria de minhas próprias experiências, somos todos, não somente, feitos de uma matéria energética comum, como também de narrativas pessoais em comum. Por isso eu sou apaixonada pelo meu “namastê” reinventado: “as fadas que habitam em mim saúdam as fadas que habitam em ti”. Nas experiências individuais e coletivas está a origem de todas as fadas que compartilho aqui.

Fazer curadoria das próprias emoções é um trabalhinho que precisa de empenho, pois na nossa formação humana, em geral, não costumamos aprender a lidar com essas sensibilidades. Ficamos embananados quando surgem determinadas emoções, somos pegos de surpresa e logo já estamos seguindo em frente, desperdiçando a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre nós mesmos e as fadas que nos habitam.

Eu quero, com o Bestiário Afetivo, que cada nova fada seja um convite pra um encontro com o desconhecido. Tipo um Tinder do bem, em que você dá match com a sua Fada e vocês combinam pra se conhecerem um pouco mais. Se mesmo entre casais que estão juntos há muito tempo é sempre possível descobrir algo novo, imagina entre nossas fadas! Há um universo a ser descoberto, e elas são a forma que encontrei pra fazer a minha jornada e eu quero te convidar pra vir comigo, compartilhar descobertas e caminhos. Topa?

Como você vai ver aqui abaixo, eu propus uma classificação das fadas por suas afinidades e energias. É como uma taxonomia intuitiva desse campo de subjetividades que é o Bestiário Afetivo, um pequeno mapa para que você possa percorrer esse caminho de forma mais amorosa.

Ah… as fadas que aqui seguem logo abaixo são desenhadas em papel canson com canetas nanquim e marcadores permanentes, seguindo um processo de desenho intuitivo e uma metodologia que eu criei adequando às minhas necessidades e que faz sentido pra mim.