Matilha da Nega Vanda

Essa é a história de como uma família/matilha se transformou em uma marca de papelaria para adoradores de cachorro.

A Matilha surgiu naturalmente conforme a minha família multiespécie foi se formando. Primeiro chegou a Pandora, um filhotinho virado em sarna que me encontrou pelas mãos da Mara, uma protetora dos animais. Foi filha única por pouco tempo, só o bastante para substituir sua pele ferida por um pelo farto e sedoso, só o bastante pra trocar o olhar desconfiado pela tranquilidade do sono despreocupado no solzinho.

Maria Vanda chegou logo em seguida com uma mudança de cidade e de perspectivas. Um pacotinho semivivo que o universo me deu de presente naquele Natal. Aceitei, acolhi, cuidei e pluft! a Matilha da possessiva e carinhosa Nega Vanda nasceu.

A parte da história sobre a matilha já contei, mas como foi que a papelaria entrou nessa? Pelos bilhetinhos que eu desenhava para deixar recados pela casa. Bilhetes pra contar sobre alguma peripécia das gurias (das cachorras), pra mandar algum carinho num cartão de final de ano ou aniversário. Rabiscos tortos e cheios de amor que transformei em caderninhos, postais, chaveirinhos.

Equipe MNV

Pandora, eu e Maria Vanda, invernais.

Foi a partir de recados com piadinhas internas, auto-memes, que nasceu a Matilha da Nega Vanda. Eu queria espalhar leveza, humor, alegria, queria que todo mundo fosse capaz de sentir o que eu sinto por ser mãe dessa matilha. Eu queria que todo mundo ficasse sabendo que cachorro não precisa ter raça pra ser maravilhoso e que quando a gente tem a oportunidade de acompanhar a transformação de um animal abandonado em um animal amado isso muda a gente, nós ficamos grandes por dentro, e esse sentimento tá ao alcance de todos os corações.

Esse é um dos projetos que mais sou apaixonada, pois foi construído a partir da minha relação com as minhas cachorras. Essa relação que só quem tem a sorte de ter cachorro entende o quanto é preciosa, engrandecedora e curativa. O projeto, apesar de lindo, se encerrou em 2016, porque a matilha mudou e eu também não sou mais a mesma. Meus porquês encontraram novos horizontes, mas sempre ao lado das melhores companheiras de jornada que alguém poderia ter, Pandora e Vanda.